A Justiça do Trabalho da Bahia está bastante adiantada no cumprimento da Resolução nº 111 do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), publicada no último dia 9 de abril, que determina a criação de unidades dedicadas à educação corporativa em todos os órgãos do Judiciário nacional em um prazo de 60 dias. Lançada oficialmente em 22 de março deste ano, a Universidade Corporativa do Tribunal Regional do Trabalho da 5ª Região (Unitrt5) – já implantou a sua estrutura e realizou eventos voltados para identificação dos focos de atuação e de programas prioritários para os próximos cinco anos, alinhados com o planejamento estratégico da instituição.

O trabalho de concepção da universidade corporativa começou em novembro de 2009, com a posse da presidente Ana Lúcia Bezerra, que a colocou como uma das metas prioritárias da sua administração. “A implantação da Unitrt5 foi pensada para fortalecer e dar sustentabilidade aos quatro pilares fundamentais definidos para a gestão: a valorização das pessoas, o planejamento, a modernização e a celeridade processual”, explica a desembargadora.

A diretora da Unitrt5, Elisa Sangiovanni, reforça que “a unidade surge com o propósito de envolver magistrados e servidores em um conceito de educação que permite o processo contínuo de formação das pessoas, pautado por uma gestão com base em competências para a viabilização das estratégias”. Essa atuação, observa, vem ao encontro da Resolução nº 111 do CNJ, que destaca “a necessidade de se instituir uma política nacional e permanente de educação corporativa dos servidores, fundada na troca de experiências, no compartilhamento de conteúdos e na racionalização dos custos operacionais”.

Com base nos desafios e objetivos estratégicos definidos para o TRT5 no período de 2009/2011 foram identificados cinco focos de atuação para a Unitrt5: capacitação de pessoas, saúde e qualidade de vida, modernidade e celeridade, imagem institucional e responsabilidade sócio-ambiental. Para cada um dos focos o Comitê de Gestão da universidade definiu programas prioritários que já começam a ser realizados. Paralelamente, estão sendo escolhidas, por meio de workshops com os diretores das mais variadas áreas, as competências essenciais para a organização, para a gestão e para as diversas unidades de trabalho.

Fonte: Assessoria de Comunicação do TRT da 5ª Região

Categorias: -

Deixe uma resposta