Soraia Abreu Pedrozo
Do Diário do Grande ABC

0 comentário(s)

Modelo semelhante ao programa lançado pela Prefeitura de Santo André na semana passada, o Bairros+Fortes, já foi implementado em Diadema meses atrás. O Bom Negócio, assim como a iniciativa andreense, busca capacitar comerciantes para que sejam detectadas deficiências na operação que a impeçam de vender mais. O intuito da Prefeitura de Diadema é elevar entre 15% e 20% o faturamento de cada um dos 139 estabelecimentos participantes, sendo 105 formais e 34 informais.

Ao todo, estão sendo oferecidas 28 horas de consultoria personalizada para cada um dos empreendimentos. “Estão sendo feitas visitas de consultores do Senac e Sebrae para avaliar uma série de itens na loja. São analisados aspectos como vitrine, atendimento, visibilidade dos preços, circulação de clientes, se é facilitada, se existe banheiro, etc”, explica Cássio Morelli, diretor de articulação e desenvolvimento empresarial da Prefeitura de Diadema.

Estabelecimentos dos bairros Eldorado e Piraporinha estão sendo visitados desde o início do ano e a capacitação já vem dando resultados. A comerciante Thelma La Selva, proprietária da loja Miami Beach Modas, mudou completamente o direcionamento de seu negócio após a consultoria. “Virei o jogo. Trabalhava com roupas masculinas, femininas, infantis, bolsas e bijouterias. Minha loja estava sem foco”, aponta.

Thelma conta que hoje procura apenas variedades de vestuário masculino e feminino. “Mudei a fachada, a vitrine, coloquei mais araras na loja, a fim de deixar livre acesso aos clientes, tirei enfeites em excesso e ainda mudei o quadro de funcionários.”

Antes, trabalhavam dois homens, agora, três mulheres. Por orientação do Sebrae, acordo com fornecedores lhe rendeu pintura nova nas paredes de sua loja. “Hoje, consigo realizar diversas mudanças sem gastar dinheiro. Algumas pessoas não levam a sério a capacitação, mas é a opinião que faz a diferença”, avalia.

Desde fevereiro, Thelma conseguiu elevar o faturamento da Miami Beach em 20%. Ela objetiva aumentar em 70% suas vendas até o fim do ano e contratar mais uma funcionária. “Antes, nem registrava o pessoal. Hoje, sei que é bem melhor assim. E, conforme for sobrecarregando as meninas, eu contrato mais gente.”

Segundo Morelli, a ideia é finalizar a etapa do visual merchandising, que consiste na visitação aos comércios, até junho. Na sequencia, será feita outra avaliação e os participantes integrarão cursos sobre gestão, estoque e fluxo de caixa, entre outros assuntos.

“Queremos expandir a iniciativa para outros bairros, pois o objetivo é tornar todos os estabelecimentos da cidade mais rentáveis, melhorando o ambiente de trabalho e a qualidade da mão de obra, assim melhorando como um todo o nível do comércio em Diadema”, afirma o diretor.

Fonte: www.dgabc.com.br

Categorias: -

Deixe uma resposta