Cerca de 77% dos docentes disseram que o tema deveria ser tratado no currículo escolar

Três em cada quatro professores querem treinamento para uso seguro da internetA maioria dos professores do Brasil e de outros oito países consultados em uma pesquisa da AVG Technologies disseram que se sentem pressionados a fornecer orientações sobre o uso seguro da internet para jovens e crianças, mas não têm formação adequada para suprir essa demanda.

No Brasil, 78% deles — ou seja, três em cada quatro docentes — informaram que as escolas precisam oferecer cursos e treinamento para torná-los aptos a abordar o assunto com os alunos.

Na média geral dos professores  consultados na pesquisa, que ouviu cerca de 1.600 profissionais, a solicitação de atividades de preparação foi apresentada por 65% dos entrevistados.  Além disso, a maioria deles, 77%, apontou que a segurança na internet deveria ser uma disciplina abordada nos currículos escolares.

Lacunas

A análise ressalta que 38% dos profissionais de ensino entende que os pais têm dificuldade em tratar a segurança na internet e orientar seus filhos porque também não sabem o suficiente sobre o tema.

Fazendo uma autoavaliação, 92% dos professores confirmaram usar conteúdos retirados da internet em sala de aula e 69% já debateram a segurança com seus alunos, mesmo que pontualmente, apesar de apenas 28% afirmarem ter passado por um treinamento formal.

Desafios

Tony Anscombe, porta-voz de segurança sênior da AVG Technologies, frisa que os professores de hoje não só usam a internet diariamente nas aulas, mas estão tendo que lidar constantemente com as questões que ela gera, como ciberbullying e acesso a conteúdos inadequados.

— Os docentes muitas vezes sem nenhum treinamento apropriado para isso.

A pesquisa revela, ainda, que no Brasil apenas 22% dos professores nunca foram procurados por alunos com dúvidas ou problemas em relação ao uso da internet. Dos que foram solicitados pelos alunos, 25% foram perguntados sobre cyberbullying e 21% sobre conteúdos inapropriados.

Em sala de aula

Mais de um quarto dos docentes, 38%, revela que tem o hábito de confiscar aparelhos eletrônicos durante a aula para evitar problemas. Dentre os brasileiros, 53% disseram que retiram os aparelhos dos alunos.

A causa comum de confisco é o uso inapropriado (63% das respostas). No Brasil, 74% dos professores responderam que retiram o aparelho do aluno quando descobrem que estão sendo utilizados para acessar conteúdos inapropriados.

Fonte: http://noticias.r7.com/


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *