Olá amigos leitores do meu blog, como vão?

Quem costuma participar de programas de capacitação já se pegou embarcando no velho modelo mental da aula na escola, certamente estimulado pela configuração da sala, pelo quadro branco à frente da sala, pelos colegas de turma sentados em cadeiras, pelo ambiente que remete a tempos passados. Boas lembranças para uns, más recordações para outros. Não, meu amigo, você não está de volta à escola, nem precisa levar uma maçã para a tia (nem caprichar na caligrafia). Uma sessão de capacitação, apesar o ambiente familiar, é uma experiência muito diferente!

Na escola  era fundamental passar no teste, de preferência com ótimas notas. Na sessão de capacitação o objetivo do treinamento é melhorar uma atuação pontual e sistemática, é absolutamente necessário realizar uma análise do perfil e experiência para determinar o que os participantes já sabem, já que um curso ou workshop que começa cobrindo os alunos de informação já apreendida trás como resultado a dispersão e a insatisfação com pensamentos viajando e foco perdido. É claro que os participantes não aprenderão o que deveriam aprender.

Ao contrário da escola, num workshop é imperativo ter certeza de que o conteúdo é aplicável. Isto significa abordar o conteúdo explicitamente, fornecendo ferramentas e modelos que permitam aos participantes aplicar o que aprenderam quando eles voltarem ao trabalho. O treinamento deve estar organizado em torno de medidas específicas, incluindo apenas a informação que é essencial ou importante para alcançar a meta. Ele será melhor ainda se inclui uma abundância de atividades práticas para a construção de competências relevantes.

Conhecimento, prática, interação e troca. Num workshop, a conversa é desejável e deve ser estimulada, já que os participantes não são as “folhas em branco” que muito professores costumam encontrar nas escolas. Cada facilitador deve ter a capacidade de prospectar conhecimentos dentre cada participante e recombiná-los em prol do grupo, enriquecendo o ambiente e fomentando a evolução pós-workshop.

Diferentes e divertidas, as boas sessões de capacitação são atraentes e deixam um resíduo de satisfação imenso! Ah sim, não tem recreio, mas quase sempre tem um belo coffee-break…

E você? Como avalia as sessões de capacitação que tem participado? Compartilhe conosco, será ótimo conhecer sua experiência.

Sucesso!

Categorias: Conteúdos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *