Por Frank Kalman*

Tecnologia de aprendizagem: para onde vai o dinheiro?Este estudo lança alguma luz sobre onde os gestores de aprendizagem investirão em tecnologia de aprendizagem em 2013.

 

Tecnologia ainda é o tema quente em conversas sobre aprendizagem corporativa, mas como as organizações estão investindo seu dinheiro nesta questão?

Uma nova pesquisa da empresa Impact Instruction Group, provedora de soluções educacionais, descobriu que o e-learning ainda é o investimento em tecnologia de aprendizagem no topo da posição em 2013, com 86 por cento, mostrando que as empresas estão investindo pesado na estratégia.

Além disso, as empresas também informaram que estão concentrando seus investimentos em webinars e vídeo – 66 por cento e 56 por cento, respectivamente – para a entrega de aprendizagem para este ano.

A pesquisa teve como objetivo obter um pulso das estratégias de aprendizagem das organizações de tecnologia  para este ano, incluindo a concepção e entrega, suporte de liderança, implementação da estratégia e necessidades de competências de pessoal.

Surpreendentemente, os investimentos em aplicativos móveis, jogos e simulações para a aprendizagem – que têm recebido pesado entusiasmo entre os líderes de aprendizagem – ainda permanecem em posição relativamente baixa em 2013, segundo a pesquisa.Apenas 22 por cento dos líderes de negócios relatados na pesquisa planejam investimentos em aplicativos móveis; 14 por cento disseram o mesmo para jogos e simulações.

Amy Franko, fundador e CEO do Impact Instruction Group, disse que, apesar do contínuo interesse e entusiasmo na aprendizagem móvel e baseada em jogos, parece que as empresas ainda estão relutantes em fazer grandes investimentos nessas áreas.

“O e-learning faz parte do leque de opções há algum tempo, por isso não me surpreende que ele se encontre em um nível tão alto”, disse Franko. “… Em muitos níveis, é uma mercadoria de eficiência comprovada. “

Muitos líderes de aprendizagem tiveram que reduzir investimentos em tecnologia de aprendizagem durante a recessão, assim como organizações foram forçadas a cortar orçamentos globais na formação e desenvolvimento de colaboradores. Agora que uma parte dos recursos necessários está começando a voltar, Franko disse que as empresas estão aderindo ao que já provou ser eficaze – neste caso, e-learning, webinars e vídeo.

Ainda assim, alguns líderes de aprendizagem acham que não investir em aplicativos móveis e outras tecnologias colaborativas e inovadoras de aprendizagem é um erro.

“O fato de que essas empresas estão gastando pouco tempo investindo em dispositivos móveis, gamification e simulações sugere que eles não estão gastando muito tempo pensando no contexto de engajamento da força de trabalho e nas práticas de aprendizagem, em geral melhores”, disse Dan Pontefract, diretor sênior de aprendizagem e colaboração na Telus empresa canadense de telecomunicações. “Isso, na minha opinião, é simplesmente errado.”

Franko disse que os líderes de aprendizagem devem trabalhar para preencher a lacuna de interesse na adoção de investimentos com líderes empresariais seniores quando se trata de tecnologias móveis e baseada em jogos.

A boa notícia da pesquisa, no entanto, é que 75 por cento relataram que o interesse de sua equipe de liderança na implementação da soluções baseadas em tecnologia de ensino está crescendo.

“Eu acho que a única coisa importante para qualquer profissional de T&D é estar plenamente esclarecido sobre as tendências da tecnologia no local de trabalho”, disse Franko. “…Líderes e executivos têm de pontuar para a organização o que está acontecendo em tecnologia, porque ela afetará diretamente (futuro) a estratégia de aprendizagem. “

*Frank Kalman é um editor associado da revista Chief Learning Officer magazine

Para saber mais, acesse http://clomedia.com


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *