O arquiteto e professor da Universidade Federal de Mato Grosso, José Afonso Portocarrero, apresentou na manhã desta sexta-feira (14.09), na sede do Conselho Regional de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Mato Grosso (CREA-MT), o projeto de implantação do Centro Oficial de Treinamento (COT) a ser implantado no campus da UFMT. O objetivo da reunião foi esclarecer detalhes do projeto e receber contribuições sobre acessibilidade às pessoas com deficiência.Na apresentação, o professor destacou todas as medidas que estão sendo adotadas na elaboração do projeto, em respeito às normas legais e recomendações técnicas que asseguram o atendimento das necessidades de cadeirantes, cegos, surdos, mudos, obesos e idosos. Foram apresentadas as estruturas de acessibilidade nos vestiários, banheiros, área destinada à imprensa, camarotes, áreas VIP e em toda a extensão do centro de treinamento.

A iniciativa da reunião foi da Auditoria Geral do Estado, através dos auditores que atuam na Secopa, com o objetivo de oportunizar a análise e acompanhamento do processo de construção de mais uma obra da Copa do Mundo por engenheiros com especialização na área de atendimento aos PNEs. O auditor Alysson Sander observou que as contribuições de profissionais capacitados em acessibilidade são fundamentais para melhorar a qualidade dos projetos e que essa troca de experiências poderá reduzir o tempo de uma licitação, evitando erros que podem afetar também os processos de construção.

“Estamos tomando todos os cuidados, incluindo a consulta prévia aos órgãos e entidades fiscalizadoras. São medidas que otimizam o tempo e garantem a entrega das obras conforme estabelecido em edital”, concluiu o auditor.

De acordo com Coordenador de Acessibilidade do CREA, o Técnico em Edificações Givaldo Campos, o projeto do CPT e o anteprojeto do VLT são os que melhor atendem as necessidades de um portador de deficiência. “Os deficientes e portadores de necessidades especiais têm direitos assegurados e os projetos e obras devem atender às normas de acessibilidade no geral. Esse trabalho apresentado pela UFMT juntamente com a Secopa, está próximo da perfeição. Estamos nos reunindo para definir pequenos ajustes antes da finalização do projeto”, comentou Givaldo.

Para o arquiteto José Afonso Portocarrero, as orientações sugeridas pelo CREA estão sendo complementadas no projeto original. “É importante a orientação de profissionais especializados em um assunto tão importante como as necessidades de pessoas com deficiência. Fico muito feliz pelos elogios e vejo que estamos no caminho certo, passando por análises de todos os setores responsáveis”, definiu Portocarrero.

Centro de Treinamento da UFMT

Com capacidade para 1500 espectadores, o Centro de Treinamento será um importante legado para a maior universidade de Mato Grosso. Após o Mundial de 2014, as instalações contribuirão para aperfeiçoar as atividades do curso de Educação Física.

No local, ainda será construída uma pista oficial de Atletismo, conforme discriminação da Confederação Brasileira de Atletismo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *