O profissional de RH deve ficar atento à forma como os cargos são intitulados

O valor da nomenclatura

Palavras como “chefe”, “supervisor” e “funcionário” estão caindo em desuso. Por outro lado, nomenclaturas em inglês (como trainee, CEO, COO, entre outras) nunca foram tão usadas por empresas brasileiras. Mas, afinal, por que essas mudanças na forma como os cargos são intitulados ocorrem e qual a importância da nomenclatura para o universo corporativo?

Mais relevante do que o cargo que se ocupa é a contribuição do profissional dentro da empresa. De acordo com Cláudio Moreira, facilitador de temas ligados à gestão, é a crescente valorização da contribuição individual e do capital intelectual dos trabalhadores que tem ocasionado mudanças nos títulos usados no ambiente empresarial.

“Os líderes estão se dando conta de que em uma gestão de processos as tarefas se dão horizontalmente e não mais verticalmente. Dessa forma, o trabalhador não é mais valorizado pelo seu nível hierárquico, mas pela sua participação no resultado final”, opina Moreira, fundador da empresa Cláudio Moreira – Facilitador e Instrutor de Educação Corporativa.

Para a consultora em Gestão Estratégica de Negócios, Mônica Costa, as nomenclaturas que estão em desuso surgiram na Revolução Industrial e nada tem mais a ver com o atual contexto corporativo. “A palavra chefe, por exemplo, transmite um autoritarismo hoje inaceitável. Atualmente, o nome de um cargo interfere na autoestima do colaborador e revela o que a empresa espera dele. Por isso, tem sido muito bem pensado”, defende a consultora.

Mônica também explica o uso massivo de palavras em inglês na definição de cargos. “A globalização dos negócios tem exigido isso. Além do que, as mais atuais Teorias da Administração são de estudiosos norte-americanos, somos herdeiros de expressões vindas deles, é inevitável”, esclarece.

A definição planejada do título de um cargo também interfere em outras questões dentro da empresa, como: promoção de justiça salarial, prevenção de desvios de função, estabelecimento de planos de carreira.

A especialista em Plano de Cargos e Salários, Regina Pinho, sugere que a empresa consulte a Classificação Brasileira de Ocupação, a CBO, quando tiver dúvidas em relação à definição dessas nomenclaturas. “A CBO traz resumos de cargos e suas principais funções. Uma boa descrição de cargos é indispensável para o quadro de colaboradores da empresa”, sugere Regina.

Fonte: http://www.portalcompetencia.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *