Por Dan Steer*

O argumento para a aprendizagem baseada em mídia social é clara: mais alcance, mais profundidade e mais eficiência. A questão agora é: “Como?”

 

O futuro da aprendizagem é social- as pessoas querem aprender juntas, as ferramentas existem e o potencial é enorme, qualquer um pode publicar, compartilhar, encontrar e comentar sobre conteúdo. Reações no mundo de aprendizagem variam do medo do facilitador perito (“eles não precisam mais de mim”) para a excitação do gerente com corte de custos (“nós não precisamos mais deles”), para as questões de controle de profissionais internos (“eles não podem fazê-lo sem mim”). Entre todas as conjecturas sobre o que a mídia social pode realizar, alguns profissionais de aprendizagem e desenvolvimento já tomaram medidas, testando como diferentes ferramentas trazem valor para a aprendizagem.

Garanta que vale a pena usar os meios de comunicação social

É tentador simplesmente apostar nas mídias sociais para seus programas de aprendizagem existentes e esperar que obtenham sucesso. Use estas diretrizes para fazer escolhas conscientes durante o projeto de formação.

Aline os objetivos de aprendizagem. Foque em objetivos que irão se beneficiar de elementos de partilha, de co-criação, ou networking. Indicadores-chave são as melhores práticas, abordagens comuns, que sugerem uma necessidade real de comparação social ou expertise de rede.

Planeja s dose eficaz mínima. O princípio da dose eficaz mínima é identificar a menor quantidade da atividade de aprendizagem correta para produzir o resultado de aprendizagem desejada. As aplicações mais impressionantes de mídias sociais na aprendizagem trazem mais velocidade para a aprendizagem, oferecem uma gama mais ampla ou mais profunda do conteúdo, e conseguem reduzir o tempo de sala de aula em ambientes formais.

Pergunte-se: O que pode ser feito sem um instrutor ou facilitador? O que deve ter lugar na sala de aula? Onde poderia participantes fornecer o conteúdo através das mídias sociais, em vez de ser de mão beijada em um ambiente de sala de aula? Como podemos usar a mídia social para dar maior velocidade de aprendizágem às pessoas? Como as mídias sociais poderiam ajudar a medir o sucesso da aprendizagem?

Conheça os seus clientes. Um empresário que cria loja no meio do nada vai compreender rapidamente que os clientes não gostam de uma longa caminhada em terreno desconhecido. O mesmo é verdade, como você vai incorporar a mídia social dentro do projeto de aprendizagem.

Pergunte a si mesmo: Que ferramentas meus colaboradores já estão usando? Onde as pessoas publicam, compartilham, discutem, organizam, encontram e comentam sobre o conteúdo? Quais ferramentas são suscetíveis de confundir ou irritar, que vão inspirar e que são mais fáceis para começar a usar hoje?

Aplicar antes, durante e depois da formação

A mídia social pode ser usada para melhorar treinamentos  formais baseados em trilhas de aprendizagem, não-formais (intencional) iniciativas de  aprendizagem, e on-the-job. Os exemplos que se seguem destinam-se a melhorar a formação baseadas em faixas de aprendizagem, embora os princípios possam ser aplicados em outros lugares.

Introduzir atividades pré-classe. Atividades típicas pré-classe como leituras prévias, questionários de nivelamento, e definição de expectativas podem ser realizados de forma mais eficaz e eficiente com o uso de ferramentas de mídias sociais. Além disso, algumas atividades que ocorrem regularmente no início do treinamento agora acontecer de antemão para melhorar ainda mais a eficiência.

Por exemplo, apresentar os objetivos, conteúdo e agenda através do YouTube. Peça aos participantes para se apresentarem e às suas expectativas para o grupo usando uma ferramenta de comunidade, como LinkedIn ou Facebook. Forneça leituras pré-classe de um determinado modelo ou teoria através de um blog e peça aos participantes para adicionar comentários.

Incentivar a narração da aprendizagem. Use narração de aprendizagem para buscar um nível regular de feedback dos participantes durante o treinamento em sala de aula em curso formal. Implementação de mídias sociais nesses momentos também melhora o alcance do aprendizado, oferecendo canais posteriores de aprendizagem.

Por exemplo, fornecer uma hashtag no Twitter (#) que os participantes possam usar e comentar sobre a aprendizagem. Identificar a hashtag específica antes da aula e mencioná-la regularmente em fóruns de base comunitária. Convide os participantes a entrevistar um ao outro e publicar os vídeos no YouTube para que outros possam acompanhar e avaliar o processo de aprendizagem.

Incentive projetos colaborativos. Estas tarefas fornecem compartilhamento de qualidade e permitem a co-aprendizagem à distância. Por exemplo, Incentivem os colaboradores a co-criar uma apresentação Prezi sobre um determinado assunto. Permita um tempo de navegação durante o treinamento para que as pessoas possam encontrar os seus próprios exemplos e novos conteúdos ou meios de comunicação para um determinado tema utilizando quaisquer dispositivos e plataformas que eles prefiram.

Alavanque a rede de cada participante. Uma vez que cada participante tem a sua própria rede, procure profissionais representativos e especialistas no assunto que possam compartilhar as melhores práticas, casos e opiniões. Convide um especialista remoto em sala de aula usando o Skype, ou peça aos participantes para consultar as suas próprias redes via LinkedIn ou Twitter.

Como um facilitador da aprendizagem, use sua rede de aprendizagem pessoal (incluindo referências de participantes anteriores) para proporcionar mais profundidade e amplitude em iniciativas futuras.

Incorpore exercícios pós-treinamento. É um mito pensar que o aprendizado pára às 5 horas, após o treinamento formal estar concluído  Use as mídias sociais para manter o aprendizado vivo.

Criar um espaço comunitário onde os alunos possam continuar a partilha de recursos, histórias e experiências, entregue conteúdo mais aprofundado por meio de links publicados em um blog por assunto, ou co-crie um Pearltree com os seus alunos para coletar, filtrar e organizar os recursos pertinentes.

Conheça chaves para o sucesso diante dos desafios

Vários desafios podem surgir na implementação da aprendizagem baseada em mídia social formal.Siga estas  melhores práticas para enfrentar tais desafios.

Introduza novas abordagens de aprendizagem para as pessoas certas. Inovação gera preocupação e confusão para algumas pessoas. Alguns participantes não vão usar o LinkedIn para compartilhar as suas perguntas pré-treinamento, por medo de se expor a futuros empregadores ou colegas. Outros não acreditam no valor da mídia social com base em suas próprias experiências sobre o tempo investido no Facebook.

É importante identificar early adopters motivados e incentivá-los a tomar medidas. As pessoas naturalmente criativas, muitas vezes tem o prazer de experimentar coisas novas. Procure o mais experiente em tecnologia, aqueles em equipes multifuncionais, e as pessoas que frequentem regularmente conferências ou se mostrem interessados ​​em tendências.

Filtro de qualidade, mas não de controle. Muitos profissionais da educação temem que se deixarem os participantes livres, a qualidade vai diminuir e será substituída ruído eletrônico. Na realidade, a maioria irá definir o tom, levando as coisas a sério e entregando resultados sólidos. Recursos válidos serão “curtidos” receberão mais atenção. Isso vai desencorajar participação de baixa qualidade e criará sucesso total. Caso um participante sabote o processo, intervenha com uma ação corretiva.

Atice fogo com inteligência. Algum esforço é necessário para encorajar o engajamento. Por exemplo, pergunte aos alunos as ferramentas que desejam usar, forneça referências na classe, publique seus materiais em diferentes plataformas. Desde que seus alunos estão presentes em diferentes espaços de mídia social, crie links entre eles, vídeos postados no YouTube podem ser referenciados em grupos do LinkedIn.

Proporcione o reconhecimento on-line para os esforços de participantes curtindo e comentando as mensagens. Atribua tarefas específicas e de feedback regularmente. Agradeça a todos aqueles que partilham, e que os outros saibam quem postou conteúdo de qualidade e onde ele pode ser encontrado.

Meça o seu sucesso e procure melhorar

Há três maneiras de medir o sucesso de atividades de aprendizagem baseadas em  mídias sociais. Em primeiro lugar, olhe para a quantidade de tráfego que você está gerando para avaliar a adoção de meios de comunicação social. Conte o número de visitas em um blog, de visualizações no YouTube, curtidas e comentários, ou membros de um grupo.

Em segundo lugar, verifique o conteúdo regularmente para ver se as mensagens são relevantes para o tema, que está sendo aprendido, e como você pode integrá-las no aprendizado futuro. Finalmente, olhe para a continuidade entre as referências e os posts.

Dan Steer é facilitador free-lancer, atua na Belgica. Ele acredita que o mundo seria melhor de todos trabalhassem apaixonadamente no que gostam.

Adaptado de http://www.astd.org


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *