Gestores de Arranjos Produtivos são capacitados em Seminário

O Programa de Arranjos Produtivos Locais (PAPL), coordenado pela Secretaria de Estado do Planejamento e do Desenvolvimento Econômico (Seplande) e Sebrae, com o apoio das secretarias setoriais, promovem ao longo desta semana o Seminário de Capacitação e Integração de Gestores dos APLs. O encontro, que acontece no Sebrae, tem por objetivo apresentar o Programa aos novos gestores, a fim de alinhar e agregar conhecimentos para a promoção de ações destinadas aos APLs.

No evento, 12 novos gestores participam da capacitação, além das secretarias setoriais de Turismo, Agricultura e Desenvolvimento Agrário, Pesca e Aquicultura, e Ciência, Inovação e Tecnologia.

A diretora de APLs da Seplande, Geanne Daniella, apresentou um panorama atual dos 18 Arranjos Produtivos, onde cerca de 13.580 produtores estão inseridos, por meio de 28 cooperativas. “Esta capacitação está prevista no plano estratégico do Programa de Arranjos Produtivos Locais, com ele visamos contribuir com mecanismos que auxiliem nas articulações das ações voltadas para a iniciativa, bem como orientar quanto a mudanças e ajustes nos Arranjos”, disse Geanne.

O superintendente de Desenvolvimento Regional e Setorial da Seplande, Michael Chinelato, falou da importância do encontro. “O principal foco da capacitação é a produção do conhecimento com base nos 18 projetos, a partir dele, ao longo do Seminário, vamos promover o estreitamento das relações dos APLs e parceiros do Programa, fomentar o alinhamento dos conceitos entre os gestores e demais participantes”, enfatizou.

Durante a apresentação, a Seplande, que é responsável pelo monitoramento de indicadores e da gestão financeira dos APLs, bem como da avaliação e divulgação dos resultados dos, demonstrou um pouco do que é feito por sua equipe nesse âmbito. Dentro desse acompanhamento, a coordenação conta com um reforço disponibilizado para o público, que é o Observatório de APLs.

A diretora Geanne explicou um pouco de sua funcionalidade dentro do Programa. “O observatório é uma ferramenta que permite o monitoramento do PAPL através de uma plataforma onde gestores de todos os estados que abrigam APLs podem verificar experiências uns dos outros. Isso fornece subsídio para ajudar também na implantação de novas atividades em outras regiões, servindo de referência”, explicitou.

Instituições parceiras do PAPL, como a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e do Parnaíba (Codevasf), Banco do Brasil, Caixa Econômica, Desenvolve, Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Universidade Estadual de Alagoas (Uneal), Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e todo o Sistema S também estiveram presentes.

Atualmente, o PAPL é formado por 18 APLs, são eles: Apicultura do Sertão, Oleiro Cerâmico, Apicultura Litoral e Lagoas, Fruticultura do Agreste, Fruticultura Vale do Mundaú, Horticultura, Mandioca, Extração Artesanal de Granito, Móveis do Agreste, Móveis Maceió e Entorno, Ovinocaprino, Fitoterápico, Piscicultura, Rizicultura, Tecnologia e Informação, Turismo Caminhos São Francisco, Turismo Costa dos Corais e Turismo Lagoas e Mares do Sul.

Fonte: http://www.alagoas24horas.com.br