Em busca de mais clientes que, muitas vezes, nunca tiveram outra aplicação além da poupança, os bancos aumentaram o número de profissionais certificados para vender investimentos.

Ao mesmo tempo, as provas de certificação –obrigatórias nesses casos– têm contemplado mais questões voltadas ao atendimento do pequeno investidor, informa a Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), responsável pelos exames.

 

Editoria de Arte/Folhapress

Ganharam mais espaço, por exemplo, temas como os objetivos do pequeno poupador e seu perfil de tolerância ao risco, importantes para o planejamento financeiro.

“Isso ocorre em meio a uma mudança de cenário de investimento no Brasil, de juros mais baixos, com mais pessoas procurando alternativas para manter a rentabilidade”, diz Carlos Massaru, vice-presidente da Anbima.

As certificações obrigatórias mais comuns são a CPA-10 e a CPA-20 (veja quadro).

Hugo Brandão, gerente-executivo da área de gestão de pessoas do Banco do Brasil, diz que a instituição tem 56,3 mil funcionários certificados, sendo 41,9 mil não obrigados a ter o título, pois não vendem investimentos.

Embora não tenham apresentado números, Caixa e Itaú também afirmaram ter funcionários qualificados além da exigência da lei.

Para estimular os funcionários, além de pagar cursos preparatórios e taxas de inscrição –que variam de R$ 190 a R$ 300–, os bancos também recorrem a programas de remuneração diferenciada a quem for certificado.

As instituições têm criado ainda sistemas de pontos que colocam o executivo certificado em vantagem para concorrer a vagas internas.

Marcelo Hereny, gerente de pessoa física da Caixa, tirou neste ano uma certificação e pretende obter novo diploma. “Quero crescer na empresa. Meu próximo objetivo é a certificação para atender aos investidores qualificados.”

CUIDADOS

Para o consultor Erasmo Vieira, da Planilhar Planejamento Financeiro, o aumento das certificações é positivo, mas é preciso ter atenção e procurar dois ou mais profissionais antes da decisão.

“Não podemos esquecer que os gerentes de algumas instituições trabalham com metas de vendas de produtos de investimento.”

Fonte: http://www1.folha.uol.com.br


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *