Haverá uma mobilização para formalizar aqueles trabalhadores que ainda não se registraram como Microempreendedores Individuais.

 

Ambulantes licenciados de Salvador recebem capacitação

SALVADOR – Os vendedores ambulantes licenciados para atuar na capital baiana participarão de capacitações do Sebrae, por meio de um convênio entre a instituição e a nova gestão municipal. Estão previstos cursos que trabalham temas como higiene e manipulação de alimentos, atendimento ao cliente, requisitos legais para a atividade e empreendedorismo. A parceria foi firmada nessa terça-feira (15) pelo diretor-técnico do Sebrae na Bahia, Lauro Ramos, e a secretária de Ordem Pública de Salvador, Rosema Maluf.

O diretor Lauro Ramos também destacou que haverá uma mobilização para formalizar aqueles trabalhadores que ainda não se registraram como Microempreendedores Individuais (MEI). “É importante evidenciar os benefícios que eles terão acesso atuando na formalidade”, afirmou. Entre os produtos oferecidos pelo Sebrae para os microempreendedores individuais estão as oficinas SEI. São sete soluções que trabalham aspectos de gestão do negócio.

A secretária Rosema Maluf afirmou que a parceria com o Sebrae será fundamental para o organização dos vendedores. Segundo ela, estima-se que em Salvador atuem cerca de 40 mil ambulantes. “Inicialmente, vamos focar essas ações em áreas mais emergenciais, como a Avenida Sete e Cajazeiras”. Mas a ideia, ainda de acordo com Rosema Maluf, é reestruturar e reordenar as áreas nas quais esses trabalhadores atuam, incluindo feiras e mercados. “Queremos que tanto o ambulante quanto os outros cidadãos de Salvador saiam ganhando com essas propostas”, apontou.

Durante a reunião discutiu-se também a implementação de outros pontos da Lei Geral da Micro e Pequena Empresa em Salvador, a exemplo da nomeação do Agente de Desenvolvimento e do funcionamento da Sala do Empreendedor. “Trata-se de um mecanismo fundamental para o fortalecimento dos pequenos negócios do município”, ressaltou Lauro Ramos.

O vendedor ambulante Francisco da Hora esteve presente no encontro e ficou satisfeito com as propostas. Ele comercializa roupas na Avenida Sete há três anos e meio, e se formalizou como MEI há pouco mais de seis meses. Para ele, sair da informalidade foi o melhor caminho para crescer. “Já consegui crédito junto ao banco e estou com boas perspectivas para o futuro. Espero em breve ter a minha loja de roupas nessa mesma área”.

Fonte: http://www.dci.com.br

Categorias: -

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *