Decidindo como decidir


Claudio Moreira - O modelo de decisão Vroom-Yetton-Jago

Como você vai tomar uma decisão pode envolver tantas opções como a própria decisão. Às vezes você tem de assumir e decidir o que fazer por conta própria. Outras vezes, é melhor tomar uma decisão em consenso do grupo. Como você decide qual abordagem usar?

Tomar boas decisões é uma das tarefas principais de liderança. Parte substancial disto é determinar os meios mais eficientes e eficazes de chegar à decisão.

Você não quer tomar decisões autocráticas quando a aceitação da equipe é fundamental para um bom resultado, nem tampouco deseja envolver sua equipe em cada decisão que tomar, porque isso é um uso ineficaz de tempo e recursos, o que significa que você tem que adaptar seu estilo de liderança à situação que você está enfrentando. Estilos autocráticos funcionam por algum tempo, estilos altamente participativos funcionam em outras ocasiões, o melhor de várias combinações é os dois estilos atuarem em conjunto.

O modelo de decisão Vroom-Yetton-Jago fornece uma estrutura útil para identificar o melhor estilo de liderança a adotar para a situação que você está enfrentando.

Nota:

Este modelo foi originalmente descrito por Victor Vroom e Philip Yetton em seu livro de 1973 intitulado Liderança e Tomada de Decisão . Mais tarde, em 1988, Vroom e Arthur Jago, substituiram o sistema de árvore de decisão do modelo original por um sistema especializado baseado em matemática. Daí você vai ver o modelo chamado de Vroom-Yetton, Vroom-Jago e Vroom-Yetton-Jago. O modelo aqui baseia-se na versão Vroom-Jago do modelo.

Compreender o modelo:

Quando você se senta para tomar uma decisão, o seu estilo e o grau de participação de sua equipe, que você precisa são afetados por três fatores principais:

  • Qualidade da decisão – O quão importante é chegar à solução “correta”? Quanto maior a qualidade  necessária decisão, mais você deve envolver outras pessoas na decisão.
  • Compromisso subordinado – O quão importante  é o engajamento de sua equipe para a decisão? Quando mais pessoas precisam abraçar a decisão deve-se aumentar os níveis de participação.
  • Restrições de tempo – Em quanto tempo você tem que tomar a decisão? Quanto mais tempo você tem, mais você tem o luxo de incluir outras pessoas, e de usar a decisão como uma oportunidade para teambuilding.

Estilos de Liderança Específicos

A maneira como estes fatores impactam você, ajuda a determinar o melhor estilo de liderança e tomada de decisões a ser usada. Vroom-Jago distingue três estilos de liderança, e cinco diferentes processos de tomada de decisão que você pode considerar:

Estilo: Autocrático – você toma a decisão e informa os outros da mesma.Existem dois processos separados para tomada de decisões em um estilo autocrático:
Processo: Autocrático 1 (A1) – você usa as informações que você já tem e toma a decisão
2 autocrático (A2) – você consulta os membros da equipe sobre informações específicas e uma vez que você as tem, você toma a decisão. Aqui você não precisa necessariamente dizer-lhes para que a informação é necessária.
Estilo: Consultivo – você coleta informações do time e então toma a decisão.
Processo: Consultivo 1 (C1) – você informa os membros da equipe o que você está fazendo e pode, individualmente, pedir opiniões, no entanto, o grupo não é reunido para discussão. Você toma a decisão.
Consultivo 2 (C2) – você é responsável pela tomada de decisão, no entanto, vocês se reúnem como um grupo para discutir a situação, ouvir outras perspectivas, e solicitar sugestões.
Estilo: Colaborativa – você e sua equipe trabalham em conjunto para chegar a um consenso.
Processo: Grupo (G2) – A equipe toma uma decisão em conjunto. O seu papel é principalmente facilitador e ajudar a equipe a chegar a uma decisão final que todos concordem.

 

Dica:
Este é um modelo útil, mas é muito complexo e de longo fôlego. Use-o em situações novas, ou as que têm características incomuns: Usando-o, você rapidamente vai adquirir um feeling para a abordagem certa podendo usa-lo em circunstâncias mais habituais.

Para determinar qual destes estilos e processos é o mais apropriado, há uma série de “sim” e “não” que você se perguntará sobre a situação, permitindo a construção de uma árvore de decisão com base nas respostas. Há sete perguntas no total:

  1. A qualidade técnica da decisão é muito importante? As conseqüências da falha são significativas?
  2. Um resultado de sucesso dependerá do empenho de membros de sua equipe para a decisão? Deve haver o engajamento para a solução para o trabalho?
  3. Você tem informação suficiente para ser capaz de tomar a decisão por conta própria?
  4. O problema é bem-estruturado de modo que você possa facilmente entender o que precisa ser tratado e o que define uma boa solução?
  5. Você está razoavelmente certo de que a sua equipe vai aceitar a sua decisão, mesmo se você fizer isso sozinho?
  6. Os objetivos da equipe são consistentes com os objetivos que a organização estabeleceu para definir uma solução bem-sucedida?
  7. Haverá, provavelmente, conflito entre a equipe sobre o que é a melhor solução?

Use a figura abaixo para seguir suas respostas através da árvore de decisão e identificar o melhor processo de decisão para as suas circunstâncias. Em alguns cenários, você precisará responder a todas as perguntas.

Claudio Moreira - O modelo de decisão Vroom-Yetton-Jago

Em geral, um estilo consultivo ou colaborativo é mais apropriado quando:

  • Você precisa de informações de outras pessoas para resolver um problema.
  • A definição do problema não é clara.
  • O engajamento dos membros da equipe para a decisão é importante.
  • Você tem tempo suficiente para gerir uma decisão do grupo.

Um estilo autocrático é mais eficiente quando:

  • Você tem mais conhecimentos sobre o assunto do que os outros.
  • Você está confiante agindo sozinho.
  • A equipe vai aceitar a sua decisão.
  • Há pouco tempo disponível.

Pontos-chave:

O pressuposto subjacente dos Modelos Vroom-Jago Yetton de decisão é que nenhum estilo de liderança ou um processo de decisão atende a todas as situações.

Ao analisar a situação e avaliar o problema com base no tempo técnico, o engajamento, e qualidade de decisão, uma conclusão sobre qual estilo se encaixa melhor em cada situação pode ser feito. O modelo define uma abordagem muito lógica sobre qual estilo adotar é útil para gestores e líderes que estão tentando equilibrar os benefícios da gestão participativa com a necessidade de tomar decisões de forma eficaz.

Para saber mais acesse http://www.mindtools.com

Gostou deste conteúdo? Navegue à vontade pelo site e aproveite para conhecer meu trabalho em algumas das maiores empresas do Brasil, clicando aqui


Deixe uma resposta