Olá amigos leitores do meu site, como vão? Curtiram a 1a parte do artigo “Aprendendo a ler mentes”? A estrategia cognitiva da Recuperação Repetida é sensacional, concordam? É ótimo ter uma forma de produzir um traço de memória que é resistente ao esquecimento (se você não leu a 1a parte do artigo, clique aqui). Hoje compartilharei a 2a parte do artigo, publicado originalmente da revista Chief Learning Officer.

Boa leitura!

Estratégia Cognitiva N ° 2: O efeito de espaçamento

Também conhecida como intervalo de reforço, o efeito de espaçamento indica que a informação é retida melhor a longo prazo quando é apresentada repetidamente com intervalos de tempo específicos entre cada repetição. Isto está em contraste direto com cramming, que envolve o estudo de grandes quantidades de dados de forma contínua ao longo de um período de tempo curto.

Em seu estudo de 2006 “Eventos de Espaçamento de Aprendizagem ao Longo do Tempo: o que diz a pesquisa”,  Will Thalheimer, fundador da Obra-Learning Research, concluiu que, embora a aprendizagem e a memória atuem fortemente durante um evento de treinamento, a decadência do conhecimento começa quase imediatamente depois e mais de 90 por cento da informação pode ser esquecida em menos de um mês.

No entanto, a aprendizagem espaçada no trabalho depois de um evento de treinamento aumenta o quanto as pessoas vão se lembrar e aplicar (Figura 1). “Quanto mais perto do evento a aprendizagem é empregada em situações em que ela é necessária, menos o esquecimento será observado. Quanto menos esquecimento, mais os alunos serão capazes de lembrar o que aprenderam e aplicar aos seus postos de trabalho. “

Exibindo GRÁFICO.jpg

A pesquisa de Kim, baseada no estudo de Thalheimer, determinou que a combinação de recuperação repetida com aumento do espaçamento trouxe resultados de recall de 83% para 99%. E no seu trabalho de pesquisa de 2013, “Efeitos da Recuperação Prática”, os pesquisadores Henry Roediger e Andrew Butler descobriram que a combinação de feedback e repetição com a recuperação pode aumentar a eficácia do teste.

O efeito de espaçamento pode ser usado tranquilamente em um ambiente de trabalho. Por exemplo, uma organização pode implementar pilulas de aprendizagem de menos de cinco minutos por dia para reforçar continuamente um evento de aprendizagem anterior. Se o conhecimento inicial é entregue através de longas sessões em sala de aula ou através de um sistema de gestão de aprendizagem, os principais pontos de aprendizagem seriam extraídos e transformados em questões que os funcionários responderiam em sessões curtas a cada dia. As perguntas são repetidas ao longo do tempo, com espaços adequados entre eles para solidificar as vias neurais e o conhecimento no cérebro.

Algumas empresas acham que apresentar porções curtas de informações, na ausência de um evento de aprendizagem prévia pode ser uma maneira eficaz para impulsionar o conhecimento. Em ambos os casos, o espaçamento permite que as organizações criem um ambiente de aprendizagem contínuo, tecendo a aprendizagem em todos os dias de trabalho.

Knoble da Ethicon disse ser capaz de reforçar continuamente eventos de aprendizagem importantes ao impulsionar o conhecimento do produto e alterar informações críticas instantaneamente envolvendo os colaboradores todos os dias, trazendo eficácia de transmissão de conhecimentos fundamentais para profissionais de vendas da empresa.

Estratégia Cognitiva No. 3: Codificação profunda

A Codificação profunda acontece quando as informações recém-aprendidas são ligadas à informações já ancoradas na memória, ou existe um outro gatilho que leva uma pessoa a se lembrar da informação mais facilmente. Por exemplo, a informação provoca uma forte resposta emocional.

A Codificação pode ser melhorada de três maneiras: .

• Em primeiro lugar, construí-la em estruturas cognitivas existentes, personalizando informações para indivíduos com base em suas responsabilidades de trabalho ou níveis de conhecimento demonstrado

• Em segundo lugar, quebrar informações em pequenos pedaços que podem ser processados ​​e ligados com mais facilidade. Os cientistas sabem agora que o cérebro é altamente eficaz no processamento de 4-5 “nacos” de informação por vez, mas torna-se sobrecarregado facilmente depois disso, o que torna mais difícil mover informações de memória de trabalho para a memória de longo prazo.

• Finalmente, faça do aprendizado uma experiência envolvente e divertida para motivar os funcionários a olhar de forma proativa para a oportunidade de aprendizagem, aumentando a receptividade e a retenção. Por exemplo, a Ethicon realizou um ensaio usando reforço intervalado e recuperação repetida para fornecer treinamento de produtos específicos para um segmento da sua unidade de vendas. Para incentivar o envolvimento e a participação, usaram a gamificação, oferecendo recompensas e pontos a quem respondesse perguntas com sucesso. O teste de três meses atingiu mais de 95 por cento de participação voluntária e aumentou significativamente o conhecimento do produto, e será lançado para a equipe de vendas inteira.

“Não só estamos vendo uma elevação gratificante do conhecimento, como conquistamos a confiança dos representantes de vendas neste aumento de produto, o que é significativo quando se trata de vendas”, disse Knoble.

Abrindo caminhos

Profissionais de Educação Corporativa que querem transformar a experiência de aprendizagem corporativa e elevar seu valor estratégico para a organização devem explorar o poder do cérebro humano como a próxima fronteira para a inovação. Longe vão os dias de investir milhões em programas que se perdem no momento em que o aluno deixa a experiência de aprendizagem.

Obter conhecimento em memória de longo prazo é a chave para a melhoria do desempenho sustentado, e deve ser o objetivo primordial para as organizações de aprendizagem. Novas pesquisas da ciência do cérebro oferecem uma riqueza de técnicas comprovadas para melhorar a retenção de conhecimento, e há sistemas e produtos disponíveis para ajudar a colocar essas técnicas em prática, o que certamente mudará estratégias e práticas dos líderes de aprendizagem.

O desempenho e as implicações financeiras de uma força de trabalho mais experiente são profundas.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *